Será o fim do motor a combustão? CCJ aprova prazo de até janeiro de 2030 para fim da venda de carros a gasolina e diesel no Brasil

Carros poluentes estão com os dias, ou anos contados

A partir de 1º de janeiro de 2030 estará proibida a venda de veículos novos movidos a combustíveis fósseis no Brasil, e em 2040 nenhum automóvel a gasolina ou diesel poderá circular no País, segundo o Projeto de Lei do senador Ciro Nogueira (PP-PI), aprovado nesta quarta-feira, 12, pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado. O PLS segue agora para votação na Comissão de Meio Ambiente (CMA) da casa. Será que o Brasil vai seguir o prazo? (André Marinho – Jornalista)

Motor V8 do superesportivo Mustang: será que vai acabar?

De acordo com o PLS 304/2017, já existem soluções tecnológicas disponíveis que permitem a substituição da gasolina e do diesel, responsáveis por um sexto das emissões de dióxido de carbono na atmosfera, que leva ao aquecimento global.

O projeto destaca que exceções serão abertas, como automóveis de coleção, veículos oficiais e diplomáticos ou carros de visitantes estrangeiros,que poderão continuar circulando no país, ainda que usem combustíveis fósseis.

Renault Zoe é o carro elétrico mais barato do mercado brasileiro

Além dos biocombustíveis, já tradicionais no mercado brasileiro, os carros elétricos avançam no mundo todo e aos poucos chegam ao Brasil. Existem algumas marcas que já têm em sua linha carros elétricos, como a Renault, com o Zoe, Chevrolet, com o Bolt, Nissan, com o Leaf, dentre outras.

Nissan Leaf sendo recarregado

O senador afirma em seu texto que o Brasil segue um caminho que já vem sendo traçado por outros países. “O Reino Unido e a França querem proibir a venda de veículos movidos a combustíveis fósseis a partir de 2040, a Índia, a partir de 2030, e a Noruega, já em 2025″, informou.

Vamos aguardar para ver o rumo dos acontecimentos. O fato é que as montadoras instaladas no Brasil devem correr para não perder o bonde da história. Enquanto outros países estão bem avançados nessa questão, e com frotas de elétricos circulando e com acesso da classe média para comprar um, no nosso Brasil brasileiro os carros elétricos têm preços inviáveis para o consumidor médio. Mais de R$ 160 mil em um elétrico pequeno ainda não atrai o cliente – acabou virando carro de nicho, para quem já tem dois e quer ter outro diferente, elétrico, na garagem.

São muitos os gargalos a resolver no Brasil. Impostos excessivos, baterias, infra-estrutura pequena, desconfiança do consumidor, autonomia, desempenho. Algo que só o tempo e a comunicação correta vão fazer diminuir. Além disso, o preço final do veículo elétrico, é claro.

Chegada do Chevrolet Bolt ao Brasil foi anunciada no Salão de São Paulo 2018l

Por aqui, híbridos com o Toyota Prius e o recém lançado Toyota Corolla 2020 Hybrid tem a preferência de um consumidor diferenciado. E fica então a dúvida: será que em dez anos todos irão se adaptar aos novos tempos elétricos? E os carros de alta performance, com motores V8, etc, os superesportivos, as picapes, quem vai ocupar esse nicho, ou será que as fábricas já estão preparando surpresas para nós? Como no Brasil tudo é adiado, tendo em vista a celeuma da placa Mercosul, vamos ver o que vai acontecer. Em 2030 a gente conversa sobre isso.

Corolla híbrido tem motor a combustão e elétrico

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *