Testei o novo Jimny Sierra numa serra paulista

Fui um dos primeiros jornalistas a testar o Jimny japonês no Brasil

Cercado de expectativa e com uma verdadeira legião de admiradores, o valente Suzuki Jimny em sua nova geração sempre foi tema dos grupos de off-road no Brasil e no mundo. E por aqui o Jimny Sierra foi lançado para a imprensa dia 22 de outubro de 2019. Fiz um teste emocionante de longa duração no interior de São Paulo. O resultado você lê e vê agora (André Marinho – Jornalista)

Detalhe da traseira do novo Jimny, da Suzuki

Sempre fui fã de trilhas off-road com responsabilidade, segurança e respeito pela natureza. Velocidade dá adrenalina, mas são nas trilhas que os cenários mais belos do mundo são desbravados. Já fiz na neve, na areia, na seca, no sertão, na serra, nas praias e em várias partes do mundo. E estava ansioso pela chegada da nova geração do Jimny que convive com a atual, que continua a ser montado no Brasil.

Já o Jimny Sierra chegou importado do Japão. O power train é novo e traz motor 1.5L de 108 cv e 14,1 kgf.m de torque. Econômico e robusto para o off-road, além da inédita opção de transmissão automática, prática para o dia a dia. Vou começar pelo que achei do tamanho. As dimensões da nova geração fazem a combinação para rodar nos grandes centros e, ao mesmo tempo, enfrentar desafios no fora de estrada. 

Por dentro do Jimny com câmbio automático e tração 4×4 com alavanca

O baixo peso, segundo a Suzuki, é outra característica marcante, já que permite ultrapassar facilmente terrenos arenosos e lamacentos evitando atolamentos, além de economizar combustível. O para-brisa e a coluna frontal estão em uma posição mais vertical. Já o capô é plano, evitando reflexos que possam atrapalhar a dirigibilidade. Conferi isso no test drive. Veja também como foi em nosso Canal Guia Automotivo no YouTube https://www.youtube.com/watch?v=cbRLdpidauI&t=12s

Testei a versão completa, 4Style, com câmbio automático, que tem quatro velocidades. Tração 4×4 com reduzida, e através de alavanca, não de botão – afinal é um jipe raiz. Parti de São Paulo, capital, rumo a Serra do Japi, em Jundiaí, a cerca de 200 km da capital.  Para evitar batidas de pedras na carroceria, as molduras dos para-lamas são mais largas e vem com textura anti-risco, assim como os para-choques. Os vidros laterais são verticais para evitar acúmulo de lama ou água. Já o teto tem maior área e é equipado com calhas, que permitem a instalação de racks nas extremidades. Outra facilidade para o dia a dia é a abertura das portas em três estágios e com ângulo de 70º.

Vista frontal e lateral do Jimny

Me chamou atenção durante o teste o volante extremamente leve, fácil de manobrar e os comandos sempre à mão. O motor quatro cilindros responde bem e não vá esperar uma arrancada de esportivo, nem retomada acelerada, o forte dele é o torque mesmo, como deve ser eu legítimo fora de estrada. Para quem quer ter o carro na mão, basta comprar a versão manual, com câmbio de cinco velocidades.

Painel do Jimny dá mais esportividade ao off-road

Em relação ao consumo, segundo o Inmetro, os números até que fazem bem ao bolso. Na estrada fiz 12, 4 km/l e na cidade 10,2 km/l. Os controles estão em posições estratégicas e fáceis de operar mesmo em condição extremas. Já o painel de instrumentos é projetado para uma visão clara ao trafegar em terrenos muito iluminados ou áreas de sombra. O volante em couro é equipado com piloto automático e controles de áudio. Para um maior conforto, o Jimny Sierra é equipado com ar-condicionado digital automático. Os bancos dianteiros são mais largos, têm maior absorção de impactos e maior curso nos trilhos, garantindo conforto e praticidade para todos os ocupantes. Este SUV tem a posição “flat bed” para os bancos, que torna o interior mais prático e espaçoso.

Bancos do Jimny Sierra foram redesenhados

Construído com chassi Heavy-Duty, percebi que tem excelentes ângulos de transposição, suspensão com eixo rígido 3-linkcom molas helicoidais. O sistema de tração é a AllGrip Pro com reduzida e função LSD, que torna a transposição de obstáculos ainda mais fácil. Acionei algumas vezes a tração com reduzida, e o jipinho valente ultrapassou os obstáculos sem problemas.

Por dentro do Jimny Sierra tudo mudou

Para garantir ainda mais segurança em qualquer situação, controle de estabilidade (ESP), além de Hill Hold (assistente de partida em rampas) e Hill Descent (assistente de descida). São três versões, incluindo duas com câmbio automático: Jimny Sierra 4YOU MT, 4YOU AT (testei essa) e Jimny Sierra 4STYLE.

Para quem quer ter um Jimny mais moderno, com design que combina retro com atualidade, câmbio automático ou manual, a nova e terceira geração manda bem quando precisa.

Ficha Técnica

Motor: 1.5 litros, 4 cilindros, 16 v

Potência: 108 cv a 6.000 rpm

Torque: 14,1 kgf.m

Câmbio: Manual (5 velocidades) ou Automático (4 velocidades)

Consumo: estrada fiz 12, 4 km/l e na cidade 10,2 km/l

Preços oficiais: R$ 105.990/R$ 113.990/R$ 124.990

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *