Fábrica da CAOA CHERY chega a 20 mil carros produzidos

Tiggo 8 sendo produzido na fábrica da marca, em Goiás

CAOA CHERY acaba de alcançar a importante marca de 20 mil carros produzidos na fábrica de Anápolis (GO). O automóvel número 20.000, um Tiggo 8 na cor branco perolizado, deixou a linha de produção na última quinta-feira (09).  O modelo é considerado o maior, mais sofisticado e luxuoso da marca.

Tiggo 8 tem versão única, preço de tabela de R$ 168.600,00 e preço de lançamento de R$ 156.900,00

Com 1.500 colaboradores, 172 mil m², capacidade para fabricar 86 mil carros/ano e um moderno centro de Pesquisa & Desenvolvimento para o desenvolvimento, homologação de veículos e motores,  além de pesquisas de combustíveis e de eficiência energética veicular, o primeiro modelo CAOA CHERY produzido na fábrica de Goiás foi o Tiggo 5X, lançado no final de 2018.

Para iniciar a produção dos SUV’s, a empresa realizou uma série de investimentos para instalar uma nova área de montagem de carroceria, ampliar a linha e implantar novos conceitos de produção como a manufatura flexível.

Tiggo 5X

Além disso, as áreas de pintura e de montagem ganharam sistemas de transportadores de piso padronizados entre as linhas. Para assegurar a qualidade, a fábrica recebeu um sistema de última geração para calibração do módulo de inteligência e comando do motor.

CAOA CHERY também investiu na capacitação e no treinamento dos operadores para trabalhar com os novos processos de produção e da equipe de profissionais do departamento de qualidade com foco no processo produtivo para garantir satisfação do cliente.

A chegada do Tiggo 8 exigiu novo aporte da montadora. Parte do montante foi destinado para a linha de montagem de carroceria, aperfeiçoamento do sistema de gestão de operações e materiais, programação dos robôs da área da pintura e dos computadores da linha de montagem, que fazem a configuração dos sistemas eletrônicos de segurança, conforto e entretenimento do veículo.

Visão do condutor do Tiggo 8

Paralelamente a isso, os colaboradores passaram por mais de 3.000 horas de treinamento. Os soldadores, pintores, montadores, inspetores e técnicos de logística, acompanhados por engenheiros de produto e da manufatura, também foram treinados “on the job” para capacitá-los na produção do novo veículo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *