Nordeste é o segundo mercado de motos do Brasil

Motos têm alta nas vendas

Uma em cada três motocicletas emplacadas no Brasil circula na Região Nordeste. Quase 50 mil modelos foram licenciados na localidade no primeiro bimestre de 2022

Linha de montagem da Honda em Manaus, no Amazonas

Região tem um veículo para cada sete habitantes e grande potencial de crescimento. Estratégica para o setor de Duas Rodas, a região Nordeste é o segundo maior mercado das motocicletas produzidas nacionalmente no Polo Industrial de Manaus (PIM). De acordo com dados da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares – Abraciclo, no primeiro bimestre foram licenciadas 49.975 motocicletas na região, o que corresponde a um crescimento de 13,8% na comparação com o mesmo período de 2021 (43.928 unidades), e a 30,5% do total emplacado no país.

Com mais de 6,6 milhões de pessoas com habilitação na categoria A, o Nordeste apresenta a proporção de uma motocicleta para cada sete habitantes – a mesma média brasileira

Honda Biz 125

 “Isso demonstra o potencial de crescimento da região. A demanda por motocicletas cresceu muito nos últimos anos por ser um veículo ágil, econômico e com baixo custo de manutenção, além de fonte de renda para boa parte da população. Mais recentemente, a constante alta nos preços dos combustíveis também tem levado muitos consumidores a optarem pela motocicleta no dia a dia”, afirma o presidente da Abraciclo, Marcos Fermanian. “Nossa perspectiva é de que o setor de Duas Rodas no Nordeste avance ainda mais ao longo de 2022”, complementa.

Outro ponto importante é a maior a disponibilidade de crédito. A chegada dos bancos digitais gerou maior concorrência no mercado financeiro e oferta de linhas de crédito para o consumidor. No ano passado, por exemplo, o total de licenciamentos nos nove estados foi de 309.486 unidades, o que corresponde a uma alta de 9,3% na comparação com 2020 (283.266 motocicletas).

Presidente da Abraciclo, Marcos Fermanian

Ranking por Estado Com 10.642 motocicletas e 21,3% de participação no mercado, a Bahia foi o estado que mais emplacou motocicletas no primeiro bimestre. Em segundo lugar, ficou Pernambuco (8.964 unidades e 17,9% dos licenciamentos), seguido bem de perto pelo Ceará (8.633 unidades e 17,3%). Em termos percentuais, o Maranhão foi o estado que registrou o maior crescimento. De janeiro a fevereiro deste ano, foram emplacadas 6.953 motocicletas, alta de 22,2% na comparação com o mesmo período de 2021 (5.691 unidades).

De acordo com levantamento da Abraciclo, as três categorias mais emplacadas na região foram a Street (26.646 motocicletas e 53,3% de participação no mercado), Trail (11.162 unidades e 22,3%) e Motoneta (7.542 motocicletas e 15,1%).

Já no ranking por motorização, a liderança é das motocicletas de baixa cilindrada (até 160 cilindradas), com 44.517 unidades e 89,1% do mercado. Os modelos de 161 a 449 cilindradas responderam por 9,7% dos negócios, com 4.846 unidades. Já os emplacamentos com motocicletas acima de 450 cilindradas totalizaram 612 unidades, o que corresponde a 1,2% do mercado.

A marca Honda continua na liderança absoluta no setor de duas rodas, com quase 80% do mercado brasileiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *